sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Post de Natal (o verdadeiro Noel)

Mais um ano que está chegando ao fim...

Parece que foi ontem que "estouramos as cidras" e já estamos quase colocando as próximas para gelar!
E, por falar em fim de ano, também estamos nos aproximando de uma das datas (subvertidas pelo instinto captalista) mais importantes do ano: o Natal!

Isso mesmo, o Natal, aqueles dois dias em que todos lembram que os seres humanos mais necessitados existem e resolvem ajudá-los. Mas não vim falar sobre isso. Meu foco aqui é outro. Presentes!

Depois de vários e vários segundos empregados em uma sagaz tentativa de comprovar a existência do velho Noel, cheguei a seguinte conclusão:

NÃO FAÇO A MENOR IDÉIA SE ELE REALMENTE EXISTE...

Mas, se é que ele realmente existe, acredito que existam também algumas falhas nas histórias contadas sobre o tal velho batuta.



Primeira consideração: Papai Noel não mora no Pólo Norte. O mais provável é que ele seja um milionário excêntrico que mora na China. Não acreditam? Pois bem, pensem comigo. Onde mais se encontraria mão de obra suficientemente barata para produzir todo e qualquer tipo imaginável de tralhas? Com o preço da mão de obra lá em baixo (e o mesmo vale para preço da matéria prima, que também seria comprada na China), ele poderia distribuir centenas de milhares de brinquedos sem gastar muito.

Segunda consideração: As lendas dizem que quem fabrica os brinquedos são os elfos. Elfos? Seres baixinhos de cara engraçada e falando em uma língua esquisita? Chineses!!! Os elfos não existem, o que reforça ainda mais a primeira teoria. O pessoal dos direitos humanos não pode criticar a idoniedade de uma pessoa por forçar uma raça que não existe à executar trabalhos escravos. E mesmo que se existissem não se enquadrariam nos direitos humanos, pois não seriam humanos, o que prova que só mencionam elfos para que o velho não se comprometa.

Terceira consideração: As renas. Alguém já viu uma rena de perto? Pois bem, estes adoráveis seres são animais fedorentos, aversos à qualquer tipo de controle humano e tem o péssimo hábito de brigar com seus companheiros e soltar gases. Pessoa nenhuma no mundo gostaria de ficar atrás de duas fileiras contendo estes animais... Se os presentes são entregues, provavelmente é por via de alguma daquelas empresas que efetuam entregas para qualquer parte do mundo em até dois dias. Como o velho é inteligente, ele se utiliza daquele velho truque do "estou fazendo uma caridade" para poder enviar os presentes sem custo de transporte.

Quarta consideração: Cuidado, esta próxima revelação pode ser chocante. O Papai Noel possui fortes ligações com alguém do senado. Por quê? Veja bem, é praticamente impossível saber o nome de todas as crianças que merecem ganhar presentes. Então o esquema funciona da seguinte maneira: Primeiramente o velho sacana, através de seu contato, acessa a base de dados do CENSO e pega o nome de todas as crianças. Depois ele cruza os dados com as listas de todas as crianças que deram entrada em reformatórios, centros de reabilitação e todos os registrados nos "livros negros" das escolas. Os que sobraram recebem presentes!

Quinta consideração: Por fim, ele deduz todas estas "boas ações" na declaração do imposto de renda como obras de caridade.
Bem, até tenho outras provas, mas acho que estas já estão de bom tamanho. Agora só resta uma pergunta. Você ainda vai chamar o Papai Noel de "Bom Velhinho"?


Abraço.





Ezequiel Stone

Um comentário:

  1. Puxa vida... Só depois de ler este post me dei conta de que já estamos praticamente há 1 mês do natal... É como minha avó já dizia: "Passou a Páscoa, já é Natal!"
    A propósito amei o post!!!

    Beijux

    ResponderExcluir