sábado, 3 de setembro de 2011

Voltei sem estar presente.

Eis que mostro novamente minha escrota face nesse ilustre blog...

E por qual motivo????

 750ml de uma excelente safra, CABERNET SAUVIGNON ano de 2009.

 Me resta uma garrafa vazia, um copo manchado, pensamentos vagantes e um relógio que marca 4:30 de uma madrugada de sábado

Bom entre alguns goles e outros começo a filosofar... ou a ficar bêbado mesmo.

Me pergunto, e peço ajuda...

O quanto vale uma amizade hoje em dia?
E após essa pergunta segue mais um batalhão de questionamentos...

1) Quantos tem amigos que não te trairiam por míseros 1000 reais?
2) Quantos tem um amigo que podem confessar o mais depravado dos seus segredos e ter certeza que este segredo continuara sendo um segredo?
3) Quantos amigos estarão dispostos a passar sofrimentos, gozações e outro tipos de bullying para te apoiar ou estar do seu lado?

Quanto em reais vale teus amigos???????


 Cara... se tu tens 3000 seguidores no twitter, ou 3000 amigos no orkut, isso não quer dizer que tu é o fodão... isso quer dizer que tu é não passa de um baita de uma babaca, que passa mais horas na frente de um computador do que aproveitando o maravilhoso dom que recebeste, e esse dom se chama vida!!!!

Abrace alguém!
Se importe com alguém!
Confie em alguém!
Seja fiél a alguém!

Seja feliz!!!!!!!!



http://www.youtube.com/watch?v=iXHEk_S8jaM


Dedico este POST etílico a um irmão escolhido.
Carlão, tua amizade reforça a minha fé e esperança nos seres humanos.
Obrigado mano.













quinta-feira, 1 de setembro de 2011

O sonho

Buenas!

...e a porta se abriu, deixando a claridade da noite invadir o dia. Eu cruzei meio relutante aquele umbral, para adentrar novamente a noite fria de minha mente doentia e sonhadora.

O asfalto estava tão frio quanto o ar da noite e eu conseguia sentir o cheiro de meu destino a quilômetros de distância. Então, sem demora, desatei em uma corrida morro acima, sentindo o chão escoar sob meus pés, conforme minha velocidade passava da absurda à vertiginosa.

Mas eu queria mais. Então tive de usar as quatro patas que me serviram perfeitamente naquele vôo rasante sobre o asfalto frio de ruas esburcadas da cidade onde eu vivi enquanto humano, enquanto apenas sonhava com os dons que possuia naquele local sagrado, no canto escondido de meus pensamentos perdidos.

E assim, quando já estava próximo de alcançar a manhã de minha vida, o relógio me trouxe de volta ao planeta dos homens.